Nota de Repúdio ao Ataque Virtual Sofrido pela Profª Lucilene Reginaldo

NOTA DE REPÚDIO

O Arquivo Edgard Leuenroth da UNICAMP repudia veemente o ataque virtual sofrido pela professora Lucilene Reginaldo, chefe do departamento de História desta mesma instituição, durante a sua fala no webinário "Atlântico Negro", promovido pela Universidade Federal de Feira de Santana em parceira com a Universidade Federal na Bahia, sob coordenadação do professor Carlos Silva, no dia 08 deste mês de junho. Um grupo formado por dezenas de pessoas orquestrou algazarras com o objetivo de cercear a discussão relacionada à história da África e às relações étnico-raciais no âmbito do império colonial português. 

A trajetória acadêmica da professora Lucilene Reginaldo tem sido marcada por importante atuação junto ao AEL, onde exerceu a função de diretora associada e, desde então, vem coordenando projetos fundamentais para o resgate, preservação e difusão da memória negra. Dentre eles, destacam-se o repertório de fontes sobre a cultura afro-brasileira e história da África e o projeto de pesquisa sobre associativismo negro no estado de São Paulo ao longo do século XX.

Reafirmamos o nosso compromisso institucional de continuar apoiando os projetos coordenados pela professora Lucilene Reginaldo e, de forma contundente, o nosso engajamento antirracista por meio da promoção do direito da população afrodescendente à memória e pleno acesso aos espaços institucionais de produção de conhecimento.

 

Conselho Diretivo do Arquivo Edgard Leuenroth

Campinas, 10 de junho de 2020.