"Moçambique: independência e nação no acervo do AEL"

Dia 9 de setembro, no auditório Marielle Franco do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, foi realizado o seminário de encerramento da exposição "Moçambique: independência e nação no acervo do AEL". A exposição teve como objetivo difundir, a partir de uma possibilidade de interpretação, das fontes sobre a História contemporânea de Moçambique sob a guarda do Arquivo Edgard Leuenroth (AEL).

As fotografias, cartazes, livros e textos que resgatam o recente processo de independência moçambicana (1975) ocuparam espaços públicos da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), como os saguões de entrada do AEL e da Biblioteca Octávio Ianni, localizado no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCH), entre os meses de março e setembro de 2019. 

No seminário realizou-se um balanço sobre os trabalhos e resultados obtidos com a promoção da exposição, sobretudo a partir de uma perspectiva que avalia a importância dos arquivos como espaços possíveis de promoção do ensino de História e de um conhecimento descolonizado. Também serão apresentadas comunicações sobre a História contemporânea de Moçambique a partir das pesquisas de investigadoras e investigadores que desenvolvem suas atividades na UNICAMP.

O AEL participou relatando a perspectiva da Difusão de um acervo arquivístico e a importância da parceria dos arquivos com os pesquisadores. No caso específico do AEL, que protege e salvaguarda documentos de grupos marginalizados e reprimidos na sociedade, a integração da Difusão com o público e os pesquisadores engajados e comprometidos com uma universidade e uma pesquisa socialmente referenciadas se tornou um dos pilares de defesa e projeção do acervo.

Confira o vídeo da primeira mesa no link abaixo: