AEL RECEBE O MAIOR ACERVO SOBRE REDEMOCRATIZAÇÃO DO BRASIL

Em junho de 2018 o AEL, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, recebeu o acervo do Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro (CPV).

O CPV foi fundado em 1973 por frades dominicanos de São Paulo com o intuito de preservar a memória de resistência e organização popular, para que a mesma fosse também instrumento de transformação social e luta pela liberdade. A firmeza e magnitude de suas ações de preservação tornou o CPV um dos centros de documentação mais conhecidos do país, principalmente pela dinâmica que consolidou junto aos movimentos sociais de apoio teórico e organizativo, coletando, processando e distribuindo os materiais produzidos pelos movimentos sociais de todo o Brasil, em especial durante o período de abertura política da Ditadura Militar e Constituinte de 1988.

As tratativas para a doação do acervo iniciou em meados de 2015 e pelo volume do acervo (400 metros lineares de documentação, equivalentes a cerca de 400 prateleiras de documentos) precisou da mobilização de toda a equipe do AEL e do apoio financeiro e logístico do Instituto e da Reitoria da universidade. Atualmente o CPV é o maior conjunto documental do nosso acervo.

O alto custo de preservação e manutenção de um centro de documentação foi o principal motivo que levou a gestão do CPV a procurar por um novo depositário para seu conjunto documental, mas o contato e parcerias entre os Centros de Documentação não é recente. A primeira doação parcial de acervo do CPV ao AEL data de 1989, e já incluía diversos folhetos e periódicos. A nova coleção vem reforçar a importância do AEL como maior centro de documentação sobre lutas sociais no Brasil e maior acervo de jornais operários da América Latina, facilitando as pesquisas sobre o tema pela centralização da documentação numa única instituição. Para acesso a documentação é necessário agendamento através do email secretar@unicamp.br, enquanto a documentação não passar pelas etapas previstas de tratamento.

Para anunciar essa nova etapa em que seu acervo passa a compor o patrimônio do Estado de São Paulo, sob guarda e proteção do AEL/Unicamp, o CPV contou com a colaboração da equipe Pavio, uma agência de videorreportagem autônoma focada em pautas sobre violações de direitos e mobilizações sociais. Em suas palavras a Pavio faz “crônica projetada em tela, vídeo escrito à mão. A Pavio é um olhar invertido sobre o que geralmente é notícia e que não deixa de ser história” e é sob esse olhar que convidamos a todos ver a belíssima reportagem sobre a vinda desse importante acervo ao AEL.

Assista à videorreportagem: O CPV e a memória das lutas populares
Reportagem: Cristina Beskow
Imagens: Cristina Beskow e Pedro Biava
Edição: Pedro Biava
Música:  Bensound.com